Associação Académica de Santarém

 

Espírito Académico

Muito embora só em 1931 se tivesse fundado oficialmente, pode dizer-se que desde há alguns anos que a Académica de Santarém vinha existindo em espírito, para a maioria dos estudantes dedicados à prática dos desportos. Que se saiba, a ideia da formação de um clube desportivo académico data, pelo menos, de 1925.

 

 

Nesse ano fora transferido da Escola Agrícola de Coimbra para a de Santarém, o aluno Gil Vicente Sacramento Monteiro. Como grande jogador de futebol que então era, foi logo solicitada a sua colaboração para o Sport Grupo Scalabitano Os Leões, onde veio a encontrar como colegas, grande número de estudantes, tanto do Liceu como da Escola Agrícola. Contudo, Gil fora jogador entusiasta da Associação Académica de Coimbra e esse facto criara-lhe, um acentuado «espírito académico», do qual vieram a ser contaminados alguns dos mais valiosos elementos do desporto scalabitano dessa época. É certamente devido a tal facto, que, por essa altura se efectuaram na Escola Agrícola algumas reuniões, a fim de se estudarem as possibilidades da fundação de um Clube desportivo unicamente constituído por estudantes. Parece, porém, que o facto de alguns dos mais valiosos elementos dos Leões se negarem a deixar o clube fez desistir os que idealizavam a criação da colectividade académica.

 

 

Mas, se a fundação do Clube não se verificou e se oficialmente a equipa nunca tenha aparecido a disputar encontros, formou-se a chamada Selecção Académica, cuja actividade em jogos particulares ficou gloriosamente assinalada, tendo levado de vencida a equipa de futebol de Veterinária por 4-0, a Selecção Académica de Lisboa por 2-0 e a Associação Académica de Coimbra por expressivos 7-3. Outros resultados favoráveis se registaram, mas os citados bastam para que se avalie do êxito a que estaria votada a constituição de um Clube académico naquela data. Depois de Gil deixar Santarém, por ter terminado o curso, o «espírito académico» não esmoreceu. Surgiram, entretanto, no Liceu Sá da Bandeira e na Escola Agrícola, os continuadores da obra encetada. Dois grandes entusiastas, Emílio Albuquerque da Escola Agrícola e Valdemar Amaral do Liceu, continuavam a organizar desafios de futebol e a formar selecções. Enquanto isto sucedia, a velha rivalidade entre Escola Agrícola e Liceu, nem sempre frutuosa nem simpática, ia se esbatendo, a dar, a nítida ideia de que o comum sentimento académico afastava o instinto de injustificado despique, até então ingloriamente verificado. UM NOVO FÔLEGO Aproximadamente na mesma altura em que Valdemar seguia para Coimbra, a frequentar a Universidade, Emílio Albuquerque deixava também Santarém, em virtude de ter concluído os estudos. Entretanto Afonso Themudo matricula-se na Escola Agrícola, onde teve com Emílio Albuquerque um contacto pouco demorado, mas que chegou para o embeber de entusiasmo académico. Themudo era um bom jogador e, logo foi convidado para jogar nos Leões. Contudo, devido a dificuldade em se adaptar a certos pormenores da organização e sobretudo o desejo por um mesmo ideal associativo, todos os estudantes criaram em Themudo, a paixão pela ideia de formar um clube que fosse estritamente académico. Themudo, que se sabia ser um entusiasta, um devoto, revelou-se simultaneamente homem de acção. Se idealizava, realizava.

 

 

A Fundação

Em 5 de Outubro de 1931, esse grupo de estudantes, liderado por Afonso Themudo e José Suspiro, criou a Associação Académica de Foot-Ball de Santarém. Afonso Themudo José Suspiro António Máximo Pedro Peralta Eng.º António Fernando Peralta Cor. Carlos Faustino Duarte Salvador da Cunha Gonçalves Eng.º Joaquim Pais de Azevedo Cor. António Pereira de Sant’Ana Dr. Manuel Carvalho Pontes Eng.º José da Silva Louro ASSOCIAÇÃO DESPORTIVA A Associação Académica de Foot-Ball de Santarém, tornou-se, desde logo, uma poderosa equipa de futebol. A estreia aconteceu na “Taça de Preparação”, organizada pela Associação de Futebol de Santarém, no dia 25 de Outubro de 1931, tendo a Briosa levado de vencida os Caixeiros por 3-1. Logo depois, nas disputas “rijas” com os Leões, Operário e Caixeiros, a Académica foi campeã de Santarém e mais tarde, em anos seguidos de 1931, conquistou títulos de campeã do distrito, tendo tido forte participação nos campeonatos nacionais. Logo a seguir à sua legal constituição, o jovem clube cuida da sua instalação e arranja Sede, na Travessa das Figueiras. Esta passa a ter grande afluência, constituindo a verdadeira Casa dos Estudantes, na qual se via alegria e mocidade, num convívio da maior repercussão na vida da cidade, na prática também de voleibol, basquetebol, atletismo, ténis de mesa, bilhar e outros, com biblioteca e uma secção cultural, rapidamente, a Associação alargou os seus horizontes da actividade física à actividade intelectual, deixando “cair” o termo “football”.

 

 

 

Associação Cultural

Promover a cultura através da realização de conferências, saraus musicais, récitas de poesia, exposições, visitas aos monumentos, entusiasmaram alguns dos briosos académicos como: Joaquim Veríssimo Serrão, os irmãos Cacho (António, Rui e Francisco), José de Freitas, Celestino Graça, Joaquim Martinho da Silva, Carlos Ribeiro, José Pedro do Rosário, José Clemente, Fernando Veríssimo, Joaquim Grais, entre tantos outros.

 

 

Legenda da foto: Grupo Dramático da Associação Académica em cena, no Teatro Rosa Damasceno, com a comédia Velhos e Novos, no dia 11 de Março de 1944. Actores: António Ribeiro, Maria Isabel Pereira, Óscar Varanda e Matilde Gavino (da esq. para a dta.)

 

 Académica com Distinção

Já com uma longa existência, hoje em dia a morar no nº 4 da Travessa das Condinhas, tendo ainda passado pela Rua Capelo e Ivens, esta “Velha Senhora” sempre orientou a sua acção para actividades culturais, de promoção social e cívica, dirigida sobretudo aos jovens, proporcionando condições para a ocupação saudável dos tempos livres e de laser através do desporto. 

Soube manter-se viva e adaptar-se às grandes transformações sociais e políticas na sua já longa história. A Cidade, através da Câmara Municipal e da Associação de Futebol e o Estado Português por intermédio do Governo, reconhecendo o valor da intervenção desenvolvida conferiram-lhe várias Distinções Públicas.

 

03/10/1956 – Diploma da Medalha de Ouro da Cidade de Santarém

27/10/1981 – Diploma de Sócio Honorário da Associação de Futebol de Santarém

06/11/1981 – Medalha de Bons Serviços

17/01/1996 - Diploma e Medalha de Mérito Desportivo

22/01/2001 – Diploma Governamental de Utilidade Pública

12/02/2003 - Medalha de Bons Serviços Desportivos

 

A Académica teve momentos de grande actividade cultural e desportiva com períodos menos conseguidos, porque o associativismo sofreu crises cíclicas e as sedes deixaram de ser locais de debate e porque não dispondo de infra-estruturas próprias para a prática desportiva, levou à paragem de algumas modalidades.

 

 

Académica -  Clube Eclético

 

Não obstante as dificuldades referidas e conhecidas, a Académica é hoje um dos clubes com maior historial do distrito de Santarém, mantendo intacta a função de promover a actividade desportiva em diversas modalidades, não só numa perspectiva competitiva, mas sobretudo num objectivo claro de formação de jovens, sendo hoje uma das grandes referências a esse nível. Jorge Cadete (ex. internacional Português), Rui Carlos (ex. Gil Vicente e V. Setúbal), Bruno Matias, (ex. júnior do S.C.P. e atualmente a jogar no Luxemburgo), Jaime Simões, (ex. Beira Mar e atualmente a jogar no Cluj da Roménia), João Monteiro (ex. júnior do S.L.B e atualmente a jogar no V. Setúbal), são alguns dos nomes que começaram as suas carreiras com a camisola da Académica de Santarém. 

Entre títulos, participações e na simples prática desportiva, a Académica mantém presentemente vivas as secções do Futebol, da Pesca e do Campismo, tendo outras modalidades como o Atletismo, o Basquetebol, o Bilhar, a Ginástica, o Hóquei em Patins, a Natação, o Rugby, o Ténis de Mesa, o Tiro com Arco e Besta e o Voleibol.

Momentos de glória, vividos com uma intensidade contagiante, cada um deles como se tivesse sido único, foram alcançados pelos briosos atletas destas modalidades, que é de toda a justiça referir no âmbito desportivo do clube:

 

Atletismo

1938 - João Pimenta levou as cores da Briosa ao pódio, por diversas vezes.

1957/1961 – Em 1959, a Briosa obteve um brilhante 3º Lugar nos Campeonatos Nacionais de Principiantes.

Neste período, individualmente, foi um recolher de triunfos em várias disciplinas (Peso, Comprimento, Disco, Dardo, 300m Barreiras e Martelo), em que se sagraram Campeões Nacionais: Menezes

Monteiro, Abílio Cristóvão, Teixeira de Matos, Osvaldo Sena Martins, Luís Glória Fragoso, Galvão de Melo e Rogério Soares, e consagrandose internacionais Menezes Monteiro, Teixeira de Matos, Galvão de Melo e Rogério Soares, entre 1958 e 1961.

1996/97 – Campeã Regional, no escalão de Juniores.

1997/98 – Campeã Regional, nos escalões de Juvenis, Iniciados e Infantis

   Rodrigo Morgado obtém o 1º Lugar no Olímpico Jovem

   Emiliano Ventura e Gonçalo Chagas tornaram-se os últimos atletas internacionais com a camisola da Académica, no escalão de Juniores

1998/99 – Campeã Regional, nos escalões de Juvenis Masculinos e Femininos

1999/2000 – Campeã Regional, no escalão de Juvenis Femininos

 

Basquetebol

1937/38 – Vice-Campeã de Santarém, no escalão de Seniores

1938/39 – Campeã de Santarém, no escalão de Infantis

1972/73 – Campeã Nacional da 3ª Divisão, no escalão de Séniores Masculinos

1978/79 – Campeã Distrital, no escalão de Iniciados

1988/89 – Vencedora da Taça do Ribatejo, Campeã Distrital e Inter-Distrital e Finalista do Campeonato Nacional, no escalão de Iniciados Masculinos

1991/92 – Campeã Distrital, no escalão Cadetes Masculinos

1992/93 – Campeã Distrital e Vencedora da 1ª Taça Nacional, no escalão de Juniores Masculinos

 

Ginástica

 1986 – Lígia Henriques alcança o título de Campeã Nacional em Mini-Trampolim, no escalão de 4ªs. Categorias Femininas

 

 

Ténis de Mesa

 1966/67 – Campeã Regional, no escalão de Juvenis

1972/73 – Campeã Distrital, nos escalões de Seniores e Infantis 

1975/76 – Vencedora da Taça de Portugal e Campeã da 1ª Divisão da Associação de Ténis de Mesa de Santarém, no escalão de Juniores

 

 

Tiro com Arco e Besta

1991/92– Campeão e Vice-Campeão Nacional individual e Campeã Nacional por equipas, na categoria E

1992/93 – Campeão Nacional individual e Campeã Nacional por equipas, na categoria E e Campeão Nacional individual, na categoria F

 

 

Pesca

1985 – Campeã Regional

1993– Campeã Regional

1994– Campeã Nacional de Clubes de Pesca Desportiva em Água Doce

1995– Campeã Mundial de Clubes de Pesca Desportiva em Água Doce

1998 – Campeã Nacional de Clubes da 1ª Divisão de Pesca Desportiva em Água Doce 2006 – Vice-Campeã Nacional de clubes da 1ª divisão de pesca desportiva de rio

Raquel Ribeiro alcançou o 5º lugar individual no Campeonato do Mundo – Taça das Nações, tendo integrado a Selecção Nacional que conquistou o título mundial por equipas

2007 – Vice-Campeã Nacional de clubes da 1ª divisão

Carlos Guimarães, classificou-se em 5º lugar no Nacional da 1ª divisão e fez parte da Selecção Nacional no Mundial de 2008 que se realizou em Itália Eduardo Ribeiro fez parte da Seleção Nacional no mundial da Hungria 

Pedro Peralta classificou-se 4º no Nacional da 2ª divisão e subiu à 1ª Divisão

Fernando Fortes classificou-se 6º no Nacional da 3ª divisão e subiu para a 2ª Divisão

Fernando Costa classificou-se em 2º no Nacional de Veteranos A

Pedro Peralta vencedor do Master Sensas disputado na barragem dos Patudos 

João Vargas Lopes classificou-se em 5º no Nacional de Veteranos B e foi ao

Mundial. Foi o vencedor absoluto do XXIV concurso Nacional da Académica de Santarém

Raquel Ribeiro fez parte da Seleção Nacional classificada em 2º lugar no Mundial de senhoras disputado em Toledo Espanha

2008– João Vargas Lopes sagrou-se Campeão Mundial de Veteranos. A Selecção

Nacional da qual fazia parte sagrou-se Campeã do Mundo

2009– 3º Lugar na 2ª divisão Nacional Sul de clubes

João Vargas Lopes fez parte da Selecção Nacional no 2º Campeonato do Mundo de Veteranos disputado em Inglaterra

Rui Coimbra, Campeão Nacional da 2ª divisão

Carlos Fonseca classificou-se em 3º lugar no Regional de Veteranos B

 2010– 6º Lugar na 1ª divisão Nacional Sul de clubes

Carlos Guimarães classificou-se em 7º lugar no Nacional da 2ª divisão e subiu à 1ª Nacional

Fernando Costa, Vice-Campeão Nacional de Veteranos B e fez parte da Selecção Nacional no Mundial de 2011 em Florença - Itália

João Vargas Lopes, Vice-Campeão Regional de Veteranos B e subiu ao Campeonato Nacional

2011– Fernando Costa Campeão Nacional de Veteranos B e foi Mundial em 2012 na

Itália

Vítor Mendonça Campeão Regional da 1ª divisão

Manuel Inês Campeão Regional de Veteranos B

Raquel Ribeiro classificou-se em 5º lugar e foi ao Mundial em 2012 na Holanda

2012– Fernando Fortes Campeão Nacional da 3ª divisão Sul

Pedro Peralta classificou-se em 5º lugar no Nacional de Veteranos e foi ao Mundial em 2013 na Bósnia

2013 – Pedro Peralta Campeão Nacional de Veteranos e foi ao Mundial em 2014

 Carlos Fonseca Campeão no XXX concurso Nacional da A.A. Santarém

2014– Pedro Peralta Vice-Campeão do Mundo de Veteranos. As provas foram realizadas entre 70 pescadores de 14 países no rio Tigre em Roma

João Vargas Campeão Regional de Veteranos e Carlos Fonseca classificou-se em 3º lugar

Pedro Peralta classificou-se 3º lugar em Veteranos e fará parte da Selecção

Nacional no Mundial de 2015, em Portugal, na Ribeira do Cabeção

 

  

Futebol

1936/37 – Campeã Distrital

1938/39 – Vencedora da Taça Província do Ribatejo

1939/40 – 5º Lugar no Campeonato Nacional da 2ª Divisão

1941/42 – Campeã da 1ª Divisão Distrital

1945/46 – Campeã regional, no escalão de Juniores

1946/47 – Campeã regional, no escalão de Juniores

1947/48 – Campeã regional, no escalão de Juniores

1948/49 – Campeã Distrital e Meia-finalista do Campeonato Nacional, no escalão de Juniores

1952/53 – Quarta-finalista do Campeonato Nacional, no escalão de Juniores

1954/55 – 1º Lugar na Série A (Sul) do Campeonato Nacional, no escalão de Juniores

1960/61 – Campeã Distrital e Quarta-finalista do Campeonato Nacional, no escalão de Juniores

1987/88 – Campeã Distrital de Futebol 5

1988/89 – Vice-Campeã Distrital de Futebol 5

1988/89 – Campeã Distrital, no escalão de Infantis Série C

1990/91 – Campeã Distrital, no escalão de Iniciados

1995/96 – Campeã Distrital, no escalão de Infantis

1996/97 - Campeã Distrital, no escalão de Juniores 1ª Divisão, Campeã Distrital, Campeã da 1ª fase do Nacional e 3ª Classificada da última fase do Nacional, no escalão de Infantis 1ª Divisão

1997/98 – Campeã Distrital, no escalão de Iniciados

2002/03 – Campeã Distrital, nos escalões de Juniores Nível 1, Iniciados Nível 2 e Escolas Nível 1

2005/06 – Campeã Distrital, no escalão de Escolas Nível 1

2006/07 – Em ano de comemoração das Bodas de Diamante, foram alcançados os

títulos de Campeão Distrital nos escalões de Juniores 1ª Divisão, Juvenis 1ª Divisão, Iniciados Nível 1 e Escolas A

2007/08 – Campeã Distrital, no escalão de Infantis Nível 1

2008/09 – Campeã Distrital, no escalão de Juniores da 1ª Divisão

2009/10 – Campeã Distrital, no escalão de Infantis Nível 1

2010/11 – Campeã Distrital, no escalão de Juvenis da 1ª Divisão

2011/12 – Campeã Distrital, no escalão de Juniores da 1ª Divisão, Vencedora da 1ª Taça do Ribatejo em Juniores, Campeã Distrital, no escalão de Sub-11 Nível

1, Campeã Distrital, no escalão de Sub-10 Nível 1

2012/13 – Campeã Distrital, no escalão de Sub-11 Nível 1

2013/14 – Campeã Distrital, no escalão de Juniores da 1ª Divisão, Campeã Distrital, no escalão de Infantis Nível 1, Campeã Distrital, no escalão de Sub-11 Nível 1.

 

 

Fonte: http://academicasantarem.com/site/pt-pt/

Lido 3561 vezes