Vitória de luxo oferece três títulos ao concelho de Santarém

Fim de semana inesquecível do Vitória Clube de Santarém resulta na conquista de um título de campeão distrital e de duas Taças do Ribatejo

Vitória de luxo oferece três títulos ao concelho de Santarém

Épico! Para gáudio do clube e do concelho de Santarém, este é um adjectivo que tem invariavelmente andado de braço dado com o percurso desportivo dos escalões de futsal do Vitória Clube de Santarém ao longo dos últimos anos. Porém, nunca antes este termo terá atingido uma acepção tão superlativa como no passado fim de semana: em cerca de vinte e quatro horas, o clube vitoriano engrossou o seu currículo com um título de campeão distrital de benjamins e com as primeiras Taças do Ribatejo do seu historial, fruto dos triunfos de juniores masculinos e seniores femininos nas grandes finais disputadas em Vila Nova da Barquinha!

Com a famosa “maldição da Taça” a assombrar o subconsciente vitoriano, na sequência de quatro finais perdidas num passado bem recente, reinava, no entanto, um sentimento de crença e vontade de juntar finalmente este troféu à dezena de campeonatos distritais que já ornamenta as vitrinas do clube. E a oportunidade afigurava-se logo em dose dupla.

Em primeiro lugar, pelas 15h00, no epicentro de um ambiente escaldante entre as duas melhores equipas do distrito no escalão, surgiu a equipa de juniores masculinos do Vitória, liderada por Ricardo Catrola, tentando rebater o superfavoritismo dos tricampeões distritais, Os Patos, que contam com um plantel recheado de unidades experientes e de qualidade comprovada.

Porém, a badalada alma vitoriana, alavanca preciosa para a superação dos craques azuis, compareceu em todo o seu esplendor na quadra da Barquinha, e, paulatinamente, a falange de adeptos que praticamente lotou o recinto aprendeu a respeitar a valia de um conjunto talentoso que conta no seu elenco com diversos atletas que tocaram já a imortalidade no clube de Santarém. A atestar a toada de equilíbrio, o resultado registado ao intervalo: 0-0.

As grandes emoções estavam, contudo, guardadas para o segundo período. Quando Os Patos se adiantaram no placar com um golo fortuito às três tabelas, ter-se-á temido nas hostes do Vitória que a equipa resvalasse para um fatal fosso de desconcentração. Puro engano. Pouco depois, num laivo de inspiração e talento, Daniel Carvalho igualou a contenda, com um golo monumental de canto directo, relançando o Vitória para o sonho.

Um novo golpe haveria ainda de ser infligido pela equipa do Rossio ao Sul do Tejo, que se tornou a adiantar aos 23 minutos, testando definitivamente o arcaboiço físico e mental dos rapazes orientados por Catrola e Amadeu Pereira, técnico-adjunto que acabaria expulso na sequência de um dos momentos altos da partida, quando, inebriado pelo inocente êxtase do golo, correu a abraçar Daniel Carvalho no momento do empate a duas bolas, após entusiasmante movimento colectivo. O número 9, no Vitória desde 2010, coroou superiormente o final da sua formação no seu clube de sempre no futsal com uma exibição portentosa, justificando o estatuto que granjeia enquanto símbolo vitoriano.

Galvanizada pela irreverência de Daniel, e alicerçada em exibições transcendentes como as do regressado Luís Miguel, João Silva, Rafa Pereira ou Nuno Gomes, a exibição vitoriana conheceu o seu apogeu quase sobre a hora, num momento de inigualável explosão. Miguel Ranito, em notável jogada individual pela esquerda, colocou toda a fé no seu pé esquerdo, servindo de bandeja o capitão Nuno Gomes, que reforçou a sua posição no rol de figuras lendárias do Vitória Clube de Santarém, fazendo o 3-2 e agitando um mar azul em delírio que quase fez naufragar a Barquinha. Que jogo de futsal!

Para os livros, ficam os nomes de João Silva, Nuno Gomes (1), Luís Miguel, Lukas Costa e Rafa Pereira; Daniel Carvalho (2), Miguel Ranito e Rúben Ferreira; Zé Schwarz, André Fonseca, Gonçalo Vieira e Miguel Garcia. 

 

“Dobradinha” antes de viagem à Madeira

Logo de seguida, pelas 17h45, chegou a vez de a equipa de seniores femininos, campeã distrital em título, reclamar duplo passaporte para a eternidade do desporto do concelho, ao trazer para Santarém a sua primeira Taça de sempre no escalão e, simultaneamente, garantir a primeira “dobradinha” do historial do Vitória Clube de Santarém.

A “vítima” foi a experiente formação da AD Fazendense, que, apesar da boa réplica, não impediu o triunfo vitoriano por 1-0. Numa final mais calculista e com menos picos de emoção do que o encontro que a precedeu, as redes só seriam balançadas no segundo tempo, valendo o solitário golo da artilheira Pulga, que converteu com categoria uma grande penalidade que ela própria conquistou após um dos seus entusiasmantes raides individuais.  

Até final, à grande oportunidade de que Bete Tavares dispôs para sentenciar o jogo (tiro à base do poste) respondeu a AD Fazendense com um livre de 10 metros a poucos minutos do final do desafio. Contudo, o sonho vitoriano permaneceria bem encaixado nas mãos da guardiã Zeca, e o corpo técnico liderado por Hugo Vieira concretizaria o segundo grande objectivo da temporada, garantindo também a presença na Supertaça Distrital 2016/17. Segue-se a Taça Nacional, com viagem à Madeira já no próximo domingo, naquele que será o primeiro compromisso do clube em terras insulares.

Na grande final da Taça, alinharam Zeca, Bete, Conxi, Pulga (1) e Neves; Letícia e Kanuka; Carla Paulino, Carina, Tatiana e Inês Lopes.

Benjamins são campeões distritais

Na véspera da euforia da Taça, já deflagrava em Santarém a chama vitoriana, numa festa que encontrou rastilho nas ruas da cidade, após, na Nave Municipal de Santarém, a equipa de benjamins do Vitória ter goleado a UF Entroncamento por 13-0, assegurando matematicamente a conquista do Campeonato Distrital 2015/16 quando ainda faltam disputar um par de jornadas!

Com um impressionante registo de 14 triunfos em igual número de partidas, além de 137 golos marcados e apenas 12 sofridos, os vitorianos não facilitaram na recepção ao penúltimo classificado, apontando 7 tentos nos primeiros 8 minutos do desafio. Carlos Bernardino, com um póquer, elevou para 43 o número de remates certeiros na prova, sendo bem secundado neste capítulo por André Paulo (2), Gui Casaca (2), JP, Alex, Gui Soares, Gil Costa e Cristiano Bernardino, cuja pontaria afinada conduziu ao terceiro título do clube no escalão.

A lista de campeões é ainda engrossada pelos nomes de Simão Moteiro, Rodrigo Rodrigues, Gonçalo Fonseca, António Quito e Gui Brito, jovens talentos orientados pela equipa técnica liderada por Carla Paulino, que entra na história do Vitória Clube de Santarém como primeira bicampeã distrital enquanto atleta e treinadora principal na mesma temporada.

No mesmo dia, proeza de vulto também para os seniores masculinos, que foram ao reduto do São Vicentense impor-se por 6-5, alargando para 5 jogos a sequência de invencibilidade e condenando as aspirações dos locais ao título distrital. Ao hat-trick de Telmo Guilherme e ao golo de Leandro “Açoriano”, somou-se o bis de Fred Faustino, outra das grandes bandeiras da formação do clube.

Com títulos em catadupa, apuramentos para provas nacionais e outros feitos de monta, o futsal do Vitória Clube de Santarém vive, em 2016, o seu apogeu e a sua definitiva afirmação no panorama futsalístico distrital e nacional.

Lido 4297 vezes